Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > CONITEC abre Consulta Pública sobre as insulinas análogas de ação prolongada
Início do conteúdo da página

Conitec abre Consulta Pública sobre as insulinas análogas de ação prolongada

  • Publicado: Sexta, 28 de Dezembro de 2018, 17h29
  • Última atualização em Sexta, 05 de Julho de 2019, 12h42
  • Acessos: 1789

Está aberta a consulta pública para avaliação da incorporação ao SUS das insulinas de ação prolongada (glargina, detemir e degludeca) para pacientes com diabetes mellitus tipo 1 e tipo 2. Até o dia 17 de janeiro, pacientes, profissionais de saúde, gestores e demais interessados poderão participar do processo e enviar suas contribuições para a Conitec.

A diabetes mellitus é caracterizada pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia) e está entre as principais causas de morte no Brasil. A doença pode se apresentar de diversas formas e possui dois tipos diferentes.

A diabetes mellitus tipo 1 (DM1), também conhecida como diabetes juvenil, é uma doença crônica e progressiva. Nesse tipo, distúrbios do sistema imunológico do paciente causam danos irreversíveis ao pâncreas, órgão responsável pela secreção da insulina, hormônio essencial para controle dos níveis de glicose no sangue. Por isso, pessoas com diabetes tipo 1 devem administrar insulina diariamente.

Quando não tratada, essa doença pode levar a vários problemas graves, como insuficiência renal, ataques cardíacos, derrame, amputação de membros inferiores e cegueira.

A diabetes mellitus tipo 2 (DM2) está associada à secreção deficiente de insulina e/ ou a resistência à sua ação e pode estar relacionada à predisposição genética, alimentação inadequada, falta de atividade física, colesterol elevado e pressão alta.  Cerca de 90% dos pacientes diabéticos no Brasil têm esse tipo. Mais comum em adultos, diabéticos do tipo 1 dependem, frequentemente, do uso de insulina e/ou outros medicamentos para controlar a glicose no sangue.

Para os dois tipos de diabetes, os estudos apresentados para embasar a decisão de incorporação, ao SUS, das insulinas de ação prolongada mostraram, entre outros fatores, não haver diferenças significativas em relação ao tratamento já existente no SUS para as doenças. Por isso, a recomendação inicial da Conitec foi de não incorporação.

O assunto, agora, está em consulta pública para receber contribuições da sociedade (opiniões, sugestões e críticas).

Clique aqui e veja o relatório inicial de recomendação para diabetes mellitus tipo 1 e aqui o relatório inicial de recomendação para diabetes mellitus tipo 2.

Como participar

Utilize os formulários eletrônicos disponíveis no site da Conitec, no link Consultas Públicas. Você poderá contribuir até o dia 17 de janeiro. Faça seus comentários e sugestões.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página