Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Conitec avalia protocolo sobre tecnologia para tratamento de pacientes com malformações ósseas na face
Início do conteúdo da página

Conitec avalia protocolo sobre tecnologia para tratamento de pacientes com malformações ósseas na face

Publicado: Terça, 05 de Janeiro de 2021, 11h47 | Última atualização em Segunda, 18 de Janeiro de 2021, 14h26 | Acessos: 86

Consulta pública sobre Distrator Osteogênico Mandibular se estende até o dia 25 de janeiro. Trata-se de um alongador utilizado para aumentar o tamanho da mandíbula e estabilizar os ossos do rosto e suas funções

A proposta de Protocolo de Uso do Distrator Osteogênico Mandibular está em consulta pública e recebe contribuições da sociedade até o dia 25 de janeiro. Trata-se de um alongador utilizado para aumentar o tamanho da mandíbula e estabilizar os ossos da face e suas funções. As anomalias congênitas ou de desenvolvimento anormal da mandíbula e maxilares podem aparecer de forma esporádica ou como parte de diversas síndromes. A tecnologia tem impacto importante no posicionamento, alinhamento e funcionamento de todo esse sistema. O Plenário da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) encaminhou o texto com recomendação inicial favorável à aprovação do documento.

Participe da consulta pública aqui.

As opções de tratamento nesses casos envolvem intervenções ortodônticas e cirúrgicas ortognáticas (para corrigir alterações de crescimento dos maxilares) e de outras estruturas adjacentes, como o palato e a articulação temporomadibular (uma articulação da mandíbula com o crânio). Na falta de uma opção terapêutica adequada, pacientes podem ter funções essenciais como respiração e alimentação comprometidas.

Quanto mais severa é a deformação desses ossos, mais graves são as comorbidades associadas.

Em fevereiro de 2019, o procedimento de Distração Osteogênica Mandibular foi aprovado para o tratamento de anomalias congênitas ou de desenvolvimento dos ossos do crânio, sendo necessário protocolo de uso desta técnica. A elaboração deste material teve como base para sua estruturação o processo preconizado pelo Manual de Desenvolvimento de Diretrizes da Organização Mundial da Saúde e pela Diretriz Metodológica de Elaboração de Diretrizes Clínicas do Ministério da Saúde.

Saiba mais
O distrator osteogênico mandibular possibilita que os ossos sejam submetidos à força de distração para estimular a osteogênese, a formação de tecido ósseo novo. O alongador pode ser interno, justaposto aos ossos ou externo, quando parte do equipamento fica aparente, junto à pele. É de titânio ou aço inoxidável e está disponível em diversos tamanhos.

Entre os critérios de inclusão aparentes no texto, pessoas com sequência de Pierre-Robin (micrognatia - mandíbula pouco desenvolvida; glossoptose - língua deslocada para trás; fissura palatina - céu da boca aberto) ou formação incompleta dos ossos mandibulares ou outras alterações de ossos da face.

Leia aqui a proposta inicial do texto.

Fim do conteúdo da página