Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Consulta Pública avalia atualização do tratamento para Esclerose Lateral Amiotrófica
Início do conteúdo da página

Consulta Pública avalia atualização do tratamento para Esclerose Lateral Amiotrófica

  • Publicado: Terça, 17 de Dezembro de 2019, 11h35
  • Última atualização em Quinta, 06 de Fevereiro de 2020, 11h59
  • Acessos: 601

O Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) está em fase de atualização. Esse documento orienta os critérios para o diagnóstico e tratamentos ofertados no SUS para a doença. A proposta de texto teve aprovação preliminar da Conitec e agora está em consulta pública para receber as contribuições da sociedade. Pacientes, profissionais de saúde, especialistas e demais interessados pelo tema podem enviar sugestões sobre o documento e auxiliar a avaliação da Comissão.

A atualização dos PCDT do Ministério da Saúde ocorre para garantir que sejam disponibilizados no SUS as melhores práticas para diagnóstico e tratamento das doenças. Essa etapa envolve busca e análise das evidências científicas acerca das opções terapêuticas disponíveis para cada caso. Para ELA, o PCDT foi atualizado e recomenda tecnologias de grande eficácia para o enfrentamento da doença. Leia aqui a proposta de PCDT.

ELA e o tratamento ofertado no SUS

A ELA é rara, considerada uma das principais doenças neurodegenerativas, ao lado de Parkinson e Alzheimer. A condição afeta o sistema nervoso, levando à destruição progressiva e inevitável das células responsáveis por funções motoras. Pacientes com ELA sofrem paralisia gradual e morte precoce, como resultado da perda de capacidades cruciais, como falar, movimentar, engolir e até mesmo respirar. A doença não tem cura e, por isso, o tratamento disponível envolve cuidados paliativos, para melhorar a qualidade de vida e retardar a progressão da doença.

Entre os sintomas iniciais mais comuns estão a perda gradual da força e coordenação muscular, incapacidade de realizar tarefas rotineiras, dificuldade para respirar ou engolir, gagueiras e falhas na dicção, cãibras, entre outros.

O PCDT para a doença engloba, como tratamento medicamentoso, o uso do riluzol, que reduz a velocidade de progressão da doença e prolonga a vida do paciente. Como terapia não medicamentosa, o documento orienta o uso da ventilação mecânica não invasiva.

Participação Social

As contribuições enviadas durante esta consulta pública podem confirmar ou modificar o texto deste PCDT. Para participar, acesse aqui.

registrado em:
Fim do conteúdo da página