Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Consulta pública avalia combinação de duas tecnologias para tratamento de doença pulmonar obstrutiva crônica
Início do conteúdo da página

Consulta pública avalia combinação de duas tecnologias para tratamento de doença pulmonar obstrutiva crônica

Publicado: Terça, 29 de Setembro de 2020, 09h42 | Última atualização em Sexta, 16 de Outubro de 2020, 11h50 | Acessos: 526

No Brasil, essa é a terceira causa de morte entre as doenças crônicas não transmissíveis. Prazo de participação foi prorrogado para até o dia 29 de outubro.

Está aberta a consulta pública sobre a combinação de duas tecnologias dilatadoras de brônquios utilizadas no tratamento de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). A análise contempla broncodilatadores antagonistas muscarínicos de longa ação (LAMA) combinado aos agonistas Beta 2 adrenérgicos de longa ação (LABA) em dose fixa combinada ou em dispositivos separados. O prazo para envio das contribuições foi prorrogado para até o dia 29 de outubro. O LABA já foi incorporado ao SUS. Agora a Conitec recomenda inicialmente a incorporação do umeclidínio, no grupo do LAMA. Para o Plenário, apesar de melhor custo se usadas na mesma formulação, as medicações são mais seguras quando utilizadas em dispositivos separados, permitindo melhor ajuste das doses conforme a necessidade de cada caso.

Participe da consulta pública. Clique aqui para o envio de relatos de experiência/opinião ou contribuições técnico-científicas sobre o tema.

A DPOC é uma doença que ataca os pulmões e causa dificuldade para respirar, devido ao quadro de inflamação e de destruição dos alvéolos, responsáveis pelas trocas gasosas nos pulmões. É considerada a quarta principal causa de morte no mundo, prevendo-se que alcance a terceira posição em 2020. No Brasil, é a terceira causa de morte entre as doenças crônicas não transmissíveis, com um aumento de 12% no número de mortes entre 2005 e 2010. Isso representa atualmente quase 40 mil óbitos anuais.

Confira aqui o relatório inicial.

SAIBA MAIS

A doença pulmonar obstrutiva crônica é provocada geralmente pela fumaça do cigarro ou de outras substâncias irritantes. Os principais sinais e sintomas são tosse, falta de ar, chiado no peito e catarro em excesso. Ela é classificada de leve a muito grave. Seu diagnóstico é feito com base em sinais e sintomas respiratórios crônicos, por meio de exames e testes diversos no paciente.

TRATAMENTO NO SUS
O Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para doença pulmonar obstrutiva crônica, publicado em 2013, orienta tratamentos medicamentosos e não medicamentosos, com objetivo de diminuir os sintomas, melhorar a respiração e a qualidade de vida do paciente.

O tratamento não medicamentoso consiste em: evitar o contato com substâncias que causam reação (como cigarro e fumaça); vacinação; oxigenoterapia; reabilitação pulmonar e cirurgia.

O tratamento medicamentoso se baseia no uso de broncodilatadores e de anti-inflamatórios corticosteroides. Para pacientes com sintomas leves, são recomendados broncodilatadores de curta ação, especificamente salbutamol e ipratrópio. Para pacientes com doença moderada ou grave, recomenda-se o uso de um broncodilatador de longa ação, salmeterol e formoterol. A associação de dois broncodilatadores de longa ação diferentes (broncodilatação dupla com LAMA e LABA) não foi recomendada neste PCDT.

TECNOLOGIA AVALIADA
A Conitec analisou os estudos que trataram dos resultados esperados (eficácia), segurança e impacto orçamentário dos medicamentos. Observou-se que a associação de LAMA/LABA diminuiu a frequência de picos de piora da doença e a dificuldade de respirar. Com relação aos eventos adversos e aos casos de morte, não houve diferença entre os usuários de LAMA/LABA e de outros tratamentos.

Diante da comprovação de que não há diferença de segurança e de eficácia entre os medicamentos da mesma classe, o umeclidínio foi recomendado por ser o LAMA com o menor custo de tratamento.

Fim do conteúdo da página