Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Medicamentos para fibrilação atrial são temas de Consulta Pública
Início do conteúdo da página

Medicamentos para fibrilação atrial são temas de Consulta Pública

  • Publicado: Quinta, 03 de Janeiro de 2019, 08h43
  • Última atualização em Terça, 29 de Janeiro de 2019, 09h26
  • Acessos: 658

População poderá enviar contribuições sobre a inclusão no SUS de dois medicamentos para tratamento da doença.

Está em avaliação na Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) a incorporação dos medicamentos dabigatrana e idarucizumabe para tratamento de fibrilação atrial (FA). Até o dia 21 janeiro, a população poderá contribuir na Consulta Pública.

A FA é uma doença crônica, que causa uma desordem do sistema cardíaco, levando a um ritmo rápido e irregular do coração. A doença é caracterizada por sintomas como palpitações, tontura e falta de ar. O tratamento é baseado na melhoria desses sintomas, pelo controle do ritmo e da frequência cardíaca e pela prevenção de complicações mais frequentes da doença, como trombose e acidente vascular cerebral (AVC).

A CONITEC recebeu a demanda para avaliar a incorporação, ao SUS, de dois medicamentos para tratamento da FA: a dabigatrana, anticoagulante administrado para prevenção de AVC, e o idarucizumabe, para situações em que é necessário reverter o efeito da dabigatrana – como em casos em que o paciente é submetido a procedimento cirúrgicos, por exemplo, em que o uso de anticoagulantes pode ocasionar hemorragias e outras complicações.

Os estudos sobre o uso das tecnologias mostraram haver muitas incertezas nos resultados apresentados e nas evidências sobre a eficácia do tratamento. Por isso, os membros da comissão recomendaram, inicialmente, a não incorporação ao SUS de ambas as tecnologias. O tema agora segue para consulta pública.

Clique aqui e acesse o relatório de recomendação inicial da CONITEC.

Como participar

As sugestões encaminhadas por meio da Consulta Pública sobre o tema poderão auxiliar na recomendação sobre a incorporação ou não desses medicamentos ao SUS. Participe!

Basta preencher os formulários eletrônicos disponíveis no site da CONITEC, no link Consultas Públicas.

registrado em:
Fim do conteúdo da página