Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Ministério da Saúde atualiza PCDT de imunossupressão de transplante hepático em pediatria
Início do conteúdo da página

Ministério da Saúde aprova PCDT de imunossupressão de transplante hepático em pediatria

Publicado: Terça, 29 de Janeiro de 2019, 09h58 | Última atualização em Sexta, 01 de Fevereiro de 2019, 12h07 | Acessos: 348

O documento foi publicado no Diário Oficial da União no dia 14 de janeiro

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) atualizou o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para imunossupressão de transplante hepático em pediatria. Nessa nova versão, o documento incluiu o uso de imunossupressores em pacientes com até 18 anos de idade, submetidos ao transplante hepático no Sistema Único de Saúde (SUS).

O fígado é um órgão indispensável para o bom funcionamento do corpo humano e, apesar de sua capacidade regenerativa, certas doenças podem provocar a necessidade de transplante do órgão. No Brasil, houve aumento do número de pacientes adultos submetidos a esse procedimento nos últimos anos. De acordo com o relatório da CONITEC, o país é o segundo em número absoluto de transplante de fígado. O procedimento foi aprimorado em suas diversas fases, especialmente no uso da terapia com imunossupressores - medicamentos para equilibrar a resposta imunológica e evitar a rejeição e perda do órgão transplantado.

A imunossupressão em crianças é, geralmente, mais complexa e desafiadora que em pacientes adultos. Isso se deve, entre outros fatores, ao fato de haver poucos estudos clínicos com dados significativos para o uso desses medicamentos na pediatria, o que exige adaptação dos resultados observados nos estudos realizados com pacientes adultos. Além disso, o tratamento em crianças deve considerar aspectos como a necessidade de um cuidador que administre o tratamento e a dificuldade na ingestão de cápsulas, o que exige o uso de fórmulas líquidas, com risco de variação das doses do medicamento, entre outros aspectos.

De um modo geral, os resultados no Brasil, ao final do primeiro ano de transplante de fígado em criança, são positivos em mais de 90% casos. O PCDT pretende garantir melhor cuidado para os pacientes, reunir recomendações e aperfeiçoar o tratamento disponibilizado pelo SUS.

Clique aqui e acesse o relatório técnico final do PCDT de imunossupressão de transplante hepático em pediatria.

Saiba mais

É possível acompanhar todos os processos de incorporações de novas tecnologias ao SUS e publicações de PCDT pelo site da CONITEC, veja aqui.

Fim do conteúdo da página