Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Ministério da Saúde incorpora procedimento para retirada de cálculos urinários
Início do conteúdo da página

Ministério da Saúde incorpora procedimento para retirada de cálculos urinários

  • Publicado: Quinta, 21 de Março de 2019, 14h36
  • Última atualização em Quinta, 04 de Abril de 2019, 14h45
  • Acessos: 443

Somente em 2017, a enfermidade foi responsável por 80.000 internações hospitalares registradas pelo SUS

Pacientes com cálculos renais poderão ter acesso no Sistema Único de Saúde (SUS) a outro procedimento para tratamento da doença: a ureterolitotripsia transureteroscópica (ULT). A decisão foi publicada no dia 20 de março, no Diário Oficial da União, após recomendação favorável da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC). A ULT é um método para retirada dos cálculos sem a necessidade de cortes. A cirurgia é realizada com a passagem do endoscóspio pelo canal da uretra para localização e fragmentação do cálculo que, posteriormente, é removido com auxílio de sondas.

A análise da CONITEC comparou os resultados obtidos entre pacientes com infecção urinária tratados com a ULT e com a LECO (Litotripsia Extracorpórea por Ondas de Choque), procedimento já disponibilizado no SUS, realizado por meio da emissão de ondas de choque para fragmentação dos cálculos. Nos estudos avaliados, o número de pacientes livres de cálculos ureterais foi 10% maior nos tratados com a primeira alternativa.

No que se refere à segurança, os dados referentes às complicações decorrentes dos tratamentos comparados foram semelhantes nos dois procedimentos, ambos com baixas taxas. Por isso, a recomendação final da CONITEC foi favorável a incorporação.

Para acessar o relatório de recomendação clique aqui.

A doença

Conhecida popularmente como pedra nos rins, a litíase do trato urinário é causada pela formação de cálculos no aparelho urinário que podem causar muita dor e impedir a passagem da urina. Ocorre com maior frequência em homens, atingindo toda a extensão da uretra, inclusive próximo à bexiga.

O tratamento normalmente inclui analgésicos para alívio da dor nos episódios agudos, observação para eliminação espontânea, que ocorre em 80% dos casos, medicamentos que auxiliam na expulsão dos cálculos, fragmentação dos cálculos por ondas de choque, fragmentação e remoção por endoscopia uretral (ULT) e, nos casos mais complexos, remoção através de cirurgia.

registrado em:
Fim do conteúdo da página