Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Ministério da Saúde publica PCDT de Diabetes Mellitus tipo I
Início do conteúdo da página

Ministério da Saúde publica PCDT de Diabetes Mellitus tipo I

  • Publicado: Sexta, 16 de Março de 2018, 15h47
  • Última atualização em Sexta, 27 de Abril de 2018, 16h45
  • Acessos: 2267
Esse PCDT inclui análogo de insulina de ação rápida incorporado pelo SUS
 
Nesta sexta-feira, 16 de março, foi publicado no Diário Oficial da União o Protocolo Clínico e as Diretrizes Terapêuticas da Diabetes Mellitus Tipo 1 – DM1. A Conitec já incluiu neste PCDT o análogo de insulina de ação rápida, incorporado ao SUS, no dia de 22 de fevereiro de 2017. Elaborado para nortear a doença no âmbito do SUS, o PCDT da Diabetes Mellitus do tipo 1, traz a descrição da linha de cuidados medicamentosos e não medicamentosos.
 
Atualmente, a diabetes atinge 8,9% da população adulta do Brasil e desde 2006, o índice cresceu 61,8%. O pico de incidência da DM do tipo 1 ocorre em crianças e adolescentes, entre 10 e 14 anos, mas pode ocorrer também, menos comumente, em adultos de qualquer idade.
 
Do autocuidado e Intervenções não medicamentosas

As intervenções não medicamentosas são essenciais para o controle glicêmico adequado, a educação e o estímulo ao autocuidado, bem como orientações nutricionais atuam de forma integrada na linha de cuidados prevista neste PCDT.
 
Das recomendações

As recomendações nutricionais para uma alimentação saudável para a população geral são aplicáveis aos portadores da DM do tipo 1. A diferença consiste no fato de que as refeições devem estar relacionadas com a insulinoterapia e a prática de exercícios físicos, com o objetivo de atingir os alvos glicêmicos pré-determinados. A orientação nutricional deve ser iniciada assim que é feito o diagnóstico da DM do tipo 1 e é importante que seja reforçada a cada consulta, para que as dúvidas sejam esclarecidas e a terapia adequada às necessidades dos pacientes. Recomenda-se ainda, que 45 a 65% do total de calorias sejam provenientes de carboidratos, 20 a 35% de gorduras e 15 a 20% de proteínas. Já os portadores de diabetes com doença renal crônica devem limitar o seu consumo de proteína em 0,8 a 1,0 g/Kg de peso/dia nos estágios iniciais da doença renal e 0,6 g/Kg de peso/dia nos estágios terminais da doença renal.

Deve-se, ainda, incluir frutas, verduras e legumes, evitar alimentos gordurosos e reduzir açúcares de absorção rápida. A estimativa da necessidade calórica deve ser individualizada e feita com base na avaliação do consumo alimentar, do estado nutricional e da prática de atividade física.

As linhas de cuidados gerais do Diabetes no Ministério da Saúde, bem como o tratamento não-medicamentoso recomendado está disponível nos Cadernos de Atenção Básica nº 35 (Estratégias para o Cuidado da Pessoa com Doença Crônica) e nº 36 (Estratégias para o Cuidado da Pessoa com Doença Crônica – Diabetes Mellitus).
 
Terapia Medicamentosa Disponível no SUS

A população pode acompanhar o PCDT atualizado pelo portal da CONITEC no endereço http://conitec.gov.br/decisoes-sobre-incorporacoes e também por meio do aplicativo nas versões Android e IOS.
 
 
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
registrado em:
Fim do conteúdo da página