Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Novas diretrizes para pacientes internados com Covid-19 estão em consulta pública
Início do conteúdo da página

Novas diretrizes para pacientes internados com Covid-19 estão em consulta pública

  • Publicado: Quinta, 09 de Setembro de 2021, 19h29
  • Última atualização em Quarta, 03 de Novembro de 2021, 15h17
  • Acessos: 674

Contribuições podem ser enviadas até o dia 20 deste mês

Estão em consulta pública outros dois capítulos das Diretrizes Brasileiras para Tratamento Hospitalar do Paciente com Covid-19. Ambos os documentos elaborados a pedido do Ministério da Saúde são aplicáveis aos serviços de saúde, públicos ou privados, que prestam atendimento hospitalar a pacientes com a doença. Até o dia 20 deste mês, a sociedade pode enviar contribuições sobre os seguintes temas: controle da dor, sedação e delirium em pacientes sob ventilação mecânica invasiva e assistência hemodinâmica e medicamentos vasoativos.

Participe das consultas públicas. Clique aqui!

Considerando a emergência de saúde pública de importância nacional, a Secretaria-Executiva da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) tem dado celeridade às demandas para tratamento da Covid-19. Saiba mais aqui. Nesses casos, o prazo da consulta pública tem sido de 10 dias - diferente dos 20 estabelecidos comumente para outros temas.

Capítulo 3 - Controle da Dor, Sedação e Delirium em Pacientes sob Ventilação Mecânica Invasiva (VMI)

Busca orientar a prática clínica quanto à otimização do uso de medicamentos analgésicos, sedativos e bloqueadores neuromusculares em pacientes sob ventilação mecânica invasiva, visando segurança e adequada assistência ao paciente. O documento considera adultos, de ambos os sexos, em tratamento em instituições de saúde, com suspeita clínica ou diagnóstico confirmado de infecção pelo SARS-CoV-2 sob ventilação mecânica invasiva.

As discussões e recomendações foram embasadas por evidências científicas diretas e indiretas, bem como por diretrizes nacionais e internacionais sobre o cuidado crítico dos pacientes com Covid-19. Participaram da produção do material, profissionais de diferentes especialidades com experiência no tratamento do manejo de analgesia e sedação em pacientes com Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA), incluindo representantes de sociedades médicas das áreas de medicina intensiva, pneumologia e tisiologia, bem como representantes do MS e de hospitais de excelência no Brasil.

Leia aqui o texto inicial do capítulo 3.

Capítulo 4 - Assistência hemodinâmica e medicamentos vasoativos

Objetiva orientar a prática clínica quanto à assistência hemodinâmica e principais estratégias farmacoterapêuticas para o paciente com disfunções cardiovasculares com Covid-19. O texto revela que os pacientes com a doença grave podem desenvolver disfunção cardiovascular, caracterizada pela presença de taquicardia, hipotensão, eventual comprometimento do débito cardíaco e da perfusão tecidual. Os princípios gerais da ressuscitação hemodinâmica nesses pacientes são os mesmos utilizados para pacientes com outras doenças críticas.

Participaram da produção do material, profissionais de diferentes especialidades com experiência na assistência hemodinâmica de pacientes com disfunções cardiovasculares com SDRA, incluindo representantes de sociedades e associações médicas das áreas de medicina intensiva, cardiologia e pneumologia e tisiologia, bem como representantes do Ministério da Saúde e de hospitais de excelência no Brasil.

Leia aqui o texto inicial do capítulo 4.

Não incorporação

O Ministério da Saúde não irá incorporar, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), o rendesivir para tratamento de pacientes com Covid 19 hospitalizados com pneumonia e necessidade de suplementação de oxigênio. A decisão acompanha a recomendação final da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) que afirmou não ter evidências disponíveis que comprovem a eficácia do medicamento.

registrado em:
Fim do conteúdo da página