Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Tecnologia para tratamento de pacientes com AVC isquêmico agudo é incorporada ao SUS
Início do conteúdo da página

Tecnologia para tratamento de pacientes com AVC isquêmico agudo é incorporada ao SUS

Publicado: Terça, 16 de Março de 2021, 11h15 | Última atualização em Terça, 13 de Abril de 2021, 10h21 | Acessos: 218

A trombectomia mecânica permite a retirada de um coágulo ou de algum material que esteja obstruindo o fluxo de sangue em uma artéria do cérebro

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) recomendou a incorporação da trombectomia mecânica para o tratamento de pacientes com acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico agudo no SUS. O Plenário considerou o uso da tecnologia nos casos com obstrução de grandes vasos sanguíneos até 8 horas do início dos sintomas. O AVC é causado pela falta de circulação no cérebro. Tal falha resulta do entupimento ou rompimento dos vasos que levam sangue à região cerebral, provocando, em minutos, a morte dos neurônios na zona afetada.

A trombectomia mecânica consiste na retirada de um coágulo ou de algum material que esteja obstruindo o fluxo de sangue em uma artéria do cérebro. É realizada durante a angiografia (exame de raio-X usado para produzir imagens detalhadas dos vasos sanguíneos) com o uso de cateteres.

O Plenário levou em conta os benefícios da tecnologia associada ao melhor tratamento clínico para tratamento do AVC isquêmico, bem como a existência de 20 Centros de AVC considerados aptos para realizar o procedimento.

Leia aqui o relatório final.

No Brasil, das 184,4 mil internações por doenças cerebrovasculares registradas em 2019, pouco mais de 26,4 mil resultaram em morte.

Saiba mais

Existem dois subtipos de AVC: isquêmico e hemorrágico. O primeiro é o mais comum, representa 85% de todos os casos. O AVC isquêmico é considerado agudo durante as primeiras 8 horas do início dos sintomas. Os sinais e sintomas são fraqueza ou formigamento na face, no braço ou na perna; confusão mental; alteração na fala e na visão; dor de cabeça repentina e intensa.

De acordo com o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) da Trombólise, o ideal é que o paciente seja encaminhado para um local especializado, com estrutura adequada para o atendimento, como um Centro de Atendimento de Urgência ao Acidente Vascular Cerebral. O medicamento alteplase, um ativador de plasminogênio tecidual, pode ser utilizado dentro das primeiras horas do início dos sintomas. No entanto, existem contraindicações, como cirurgia recente, sangramento ativo, anormalidades de coagulação e histórico de trauma e de hemorragia intracraniana.

Estudos avaliados pela Conitec demonstraram que os pacientes com AVC isquêmico que receberam trombectomia mecânica conseguiam realizar suas atividades diárias com mais independência. Verificou-se também que a tecnologia não está associada a um risco maior de morte ou hemorragia intracraniana sintomática em até 90 dias após realização do procedimento.

Fim do conteúdo da página